segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Ovada nas vagabundas

É da forma que está no título acima que o senhor Boninho, diretor da Rede Globo de Televisão, que tem em sua ficha de bons serviços prestados ao país a direção do fabuloso programa Big Brother Brasil, se refere ao seu esporte favorito em um vídeo que está circulando no Youtube.

Boninho ensina como fazer um ovo ficar podre: em três dias, depois de adicionar éter ao ovo ele fica bonzinho. E arremata dizendo que já jogou ovo em muita vagabunda na rua.

É a mesma mentalidade dos "meninos" da Barra que acham que podem dar umas porradas em mulher na rua se ela for puta. É a mesma mentalidade dos que tocam fogo em índio porque acharam que fosse mendigo. Enfim, essa classe média que aparece no vídeo (Chateaubriand, Brizola, Boninho, Tamborindegui e quetais) é que está aí revoltada dizendo que tá cansada, bradando contra a violência. Enfim, pura hipocrisia.

2 comentários:

Anônimo disse...

Nao sao bichonas frustradas nao. Comparar este tipo de gente com os homosexuais é uma tremenda ofensa a todos e todas que tenham esta opcao na vida e sao cidadoes e cidadonas que respeitam os direitos dos outros. O comportamento destes moleques e molecas é passível de punicao, e até prisao. Artigos penais para isto é que nao faltam. Daí a sairem dando pancadas em homossexuais, empregadas domésticas, meninos de rua e outros menos afortunados e paparicados na sociedade brasileira é um passo. Recomendo inaugurarem no Rio de Janeiro um Bangu II Vip de ressocializacao dos filhos e filhas das elites e seus pais, com poleiros asseados ligdos diretamento no you tube, e com a tarefa diária de assistirem durante duas horas este escárnio que é esse vídeo. Penso em pedir ao you tube para tirar este video do ar, mas tenho minhas dúvidas, pois é um documento que revelam o que aprendem privadamente de seus pais. Marcos Romao

Glória disse...

Pensar que um tipo desse tem um veículo de comunicação ao seu alcance. Dá para entender porque o tal programa BB é o que é há de mais asqueroso na televisão brasileira.