quinta-feira, 21 de setembro de 2006

Voltem seus olhos para Darfur

É incrível como as pessoas só se sensibilizam para determinadas tragédias quando elas aparecem na Rede Globo ou viram palco para artistas de colorações e matizes ideológicos distintos, brilharem como paladinos da paz e da justiça. Outras, no entanto, escancaram-se à nossa frente mas nossa letargia coletiva faz com que não as queiramos percebê-las.

Neste momento na província sudanesa de Darfur, uma tragédia de dimensão incalculável está se aproximando tal como ondas de um tsunami. Nesta semana a União Africana está retirando os cerca de 7.000 soldados que impedem um verdadeiro massacre no país. As Nações Unidas curvando-se à vontade do presidente Omar El-Bashir, deixaram de enviar 17 mil capacetes azuis ao país e, com isto, as tropas oficiais preparam-se para esmagar os rebeldes de Darfur.

Há três anos grupos rebeldes e milícias apoiadas por Cartum (capital do Sudão) lutam pelo controle do país e mais de 300 mil pessoas já foram mortas e dois milhões tornaram-se refugiados dentro de seu próprio país. É redundante chamar a atenção para o fato de que mulheres, idosos e crianças são as maiores vítimas, como sempre, desta guerra insana.

Paris se mobiliza para realizar uma manifestação de apoio à população de Darfur; o ator George Clooney esta semana fez um apelo mundial para que os olhos do mundo se voltem para Darfur. E nós, o que estamos fazendo?

O blog "Atentos à Mídia", que é uma iniciativa colaborativa de vários jornalistas do país e até mesmo colaboradores do exterior, tem publicado constantemente informações sobre Darfur, isto porque os grandes veículos de comunicação brasileiros ignoram solenemente tudo que acontece no continente africano e que não tenha a cara festiva da periferia que tanto encanta a classe média descolada. No entanto isto só não basta.
Além da ensurdecedor silêncio de uma militância do Movimento Negro que nem mesmo se dá ao trabalho de comentar as notícias que são publicadas (o preceito básico dos blogs é a interação dos autores com seus leitores), o que se percebe é que a tão decantada africanidade muitas das vezes é jogada para debaixo do tapete na hora de se pôr a mão na massa efetivamente para apoiar milhares de pessoas que de uma hora para outra poderão ser mortas em massacres inomináveis.

(Entre parênteses podemos lembrar que nos recentes bombardeios de Israel sobre o Líbano, milhares de pessoas em vários estados da Federação foram às ruas protestar contra o ataque e manifestar apoio à população libanesa.)

Decerto que às expensas das dificuldades vividas pelos negros brasileiros em seu cotidiano temos a obrigação moral de mobilizar o governo brasileiro para que este se posicione contra o que ocorre neste momento no Sudão. Por mais que se critique a governo de Fernando Henrique Cardoso, há que se lembrar que foi dele (graças à pressão da sociedade civil) a iniciativa de oferecer asilo político a uma mulher nigeriana que estava prestes a ser apedrejada por ter sido condenada por um tribunal islâmico local. Fernando Henrique intercedeu junto ao presidente Olusegun Obasanjo e este suspendeu a condenação.

A realização de tantos eventos nos ultimos anos trazendo para o Brasil encontros de África e Diáspora nos gera a responsabilidade natural de chamar a atenção para os sofrimentos dos negros de África e Diáspora. E neste momento, os negros de Darfur pedem ajuda dos negros brasileiros e nós precisamos ter a responsabilidade de não lhes virar as costas.

Desta forma creio que seja fundamental divulgar ao máximo os acontecimentos de Darfur; mobilizar a militância negra para que esta pressione o governo brasileiro, via Itamaraty, a manifestar-se fortemente a favor da população civil de Darfur e acionar os mecanismos de proteção das Nações Unidas para aquele povo; incidir junto a jornalistas e personalidades negras para que estas usem de seus espaços e influencias para não deixar Darfur sucumbir ao seu próprio sofrimento.

A solidariedade neste momento será essencial. E a construção de uma aliança África e Diáspora só se dará verdadeiramente com ações práticas. Façamos então nossa parte.

2 comentários:

Theago Loco disse...

Ola ! estou iniciando minhas atividades em blog (http://www.issodesign.com/blog) e passeando pela internet atraz de blogs interessantes, encontrei o seu, tenho a mesma opiniao que vc sobre a situacao da africa! gostaria de manter contato, teria como adicionar um link para meu blog ai? estarei adicionando o seu agora mesmo :) Obrigado

EU SOU PELA JUSTIÇA disse...

Até que enfim, alguém fala sobre Darfur. Parabéns Marcio, vale ressaltar que Israel, apesar das críticas atuais, está acolhendo refugiados daquele país neste exato momento, e é bom também lembrar, que os árabes é que estão causando ester vaticínio.

Roberto de Carvalho