sexta-feira, 16 de dezembro de 2005

Um belo poema

Às vezes ao navegar pelas ondas bravias da Web nos de paramos com algumas surpresas agradáveis. Não escondo de ninguém que sou um rato de internet, participo de listas, orkuts e quetais. Pois foi no Orkut, dando uma olhadinha aqui, outra acolá que fui parar no perfil da Adriana Piaia. Pessoa que não conheço, que nunca vi, mas que tive a grata supresa de ler o belo poema que transcrevo abaixo. Creio que seja da própria Adriana, pela forma como está descrito na comunidade. Gostei demais dos ultimos versos, espero que gostem também.


Pros erros há perdão;

pros fracassos, chance;
pros amores impossiveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.
O romance cujo o fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque
que a rotina acomode,
que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando,
fazendo que planejando,
vivendo que esperando,
porque embora quem quase morre esteja vivo,
quem quase vive já morreu."

Adriana Piaia

3 comentários:

Helena Costa disse...

Márcio, querido, pelo que conheço do Veríssimo, duvido muitíssimo que seja dele o texto, o estilo não é nada "verissiano".
Obrigada pela citação ao Dufas no post do "basta".
Beijão!

Tutty Piaia disse...

bom, depois de uma surpresa deste tamanho..., minha irmã certamente ficará surpresa tb. a net sempre guarda grandes surpresas, agradeço.

Anônimo disse...

Marcio Alexandre, querido, independente de seu estilo ou do formato do poema o importante é a mansagem. Um bom poema sempre fala aos sentimentos, de sentimentos. Ajuda a tornarmos mais humanos, Seres Humanos. Pela dinâmica destes tempos, andamos calando um bom poema que fala de nosso interior, que toca nossos sentimentos! Publique mais!!!