quarta-feira, 27 de julho de 2005

Dia do Motociclista ou deveria ser o Dia do Amigo?

Na semana passada foi comemorado o Dia do Amigo. Recebi emails e ligações carinhosas de amigos e amigas lembrando-me da data. Hoje é o Dia do Motociclista e fiquei pensando que as duas datas deveriam ser comemoradas juntas.

Em agosto de 2004 eu comprei um triciclo. O triciclo precisava de consertos e ajustes. Eu não conhecia nada desse universo motociclistico. Procurei na Internet e entrei numa lista de discussão cujo nome, curiosamente é Motociclist@, e ali pedi algumas dicas. Jorraram informações e pessoas dispostas a ajudar.

Com o passar do tempo fui conhecendo outros proprietários de triciclos, fui me enturmando na lista. Fui tomando umas cervejas com um aqui, comendo um churrasco com outro ali e, finalmente, percebi que havia descoberto minha turma.

Não que eu não tenha amigos. Tenho-os e muitos, graças a Deus. Mas eu nunca tive é uma turma. Aquela galera que um fio de afinidade faz transformar em amizade sincera e profunda. E fui descobrir isso no mundo motociclístico.

Lembro-me que em outubro do ano passado fui a um encontro em Irajá e na saída meu triciclo não queria pegar por nada. Um dos organizadores do encontro, Vice-Presidente dos Coringas de Irajá (que infelizmente esqueci o nome), ficou UMA HORA E MEIA comigo e meu cunhado tentando fazer o triciclo pegar. Chamou outras pessoas pra ajudar até que descobrimos que o problema estava na gasolina que era batizada. Essa foi, para mim, uma das maiores provas de consideração que já tive na vida. O cara não me conhecia, nunca tinha me visto, mas pelo simples fato de eu ter pedido uma chave de fenda emprestada ele saiu da festa em que estava e era um dos organizadores, para me dar atenção.

Depois disso conheci os Kafajestes (moto clube que adotei e que me adotou reciprocamente), estabeleci fantásticas relações de amizade com meus irmãos da lista Triciclo/Trike Brasil. Fui a Porto Alegre e ao Recife a trabalho e pude conhecer o Daniel Genésio (sem moto clube) e o Maia (Abutres), respectivamente, que me acolheram e me trataram como se fosse um irmão de sangue. Participei de eventos beneficentes, fui a passeios, tomei mais cervejas e comi mais carne...

Enfim, posso dizer que no dia do amigo eu tendo a pensar com muito carinho nos meus irmãos motociclistas e digo também que no dia dos motociclistas penso com muito carinho que hoje tenho muito mais amigos do que tinha antes.

E é isso, e apenas isso, que faz a vida valer à pena ser vivida. Afinal, dela nada levamos. Mas se deixamos plantada a semente do amor no coração dos nossos amigos, independente da crença que tenhamos podemos ter certeza que atingimos a imortalidade.

Parabéns, meus irmãos motociclistas e que nossas vidas sejam longas e as estradas sejam gentis com cada um de nós. Beijos no coração de cada um de vocês.

2 comentários:

Natália disse...

Oi vi teu blog o orkut ele eh mutio d++++++++++++ eu me sinto uma destruivel pq o meu blog naum chega aos pés do teu mai passa lá e anima meu humor =********* e
***FUI***

TERCEIRARODA disse...

Li a sua mensagem que fala de triciclos e amigos. Nossa história é muito parecida com a sua. Adquirimos um triciclo em agosto de 2005, e desde então entre uma cerveja, um churrasco e um novo amigo eu fico fuçando o blog dos outros. Achei o seu, senti como se você tivesse escrito a nossa história... Triciclo é tudo de bom, meu marido comprou por insistência minha, ele achou esquisito, eu achei confortável, mas não imaginávamos o que viria depois...
Dá uma olhadinha no nosso blog www.terceiraroda.blogspot.com, estou aprendendo ainda a lidar com isso, não sei publicar nada na barra lateral, mas eu vou descobrir. se quiser me passar a dica eu agradeço!!!
Um abração.