domingo, 12 de setembro de 2010

É urgente a realização de uma Conferência Nacional sobre Liberdade Religiosa

Os ataques a que as manifestações religiosas de matrizes africanas vêm sendo submetidas atingiram o ápice nesta semana na cidade do Rio de Janeiro com dois episódios absolutamente sintomáticos.





No primeiro, um jogador que traz a Bahia no nome e joga no maior time de futebol do país declarou à imprensa que o time, por atravesar má fase precisava da ajuda de Deus e dos santos "menos da macumba, que se fosse coisa boa, não seria macumba, mas sim, boacumba".



O segundo ataque veio por parte de um deputado estadual - cujo me nego a citar quem é para não ficar dando nome a quem tem apelido - que, tendo a postura de sempre votar contra qualquer ação voltada para as religiões de matrizes africanas, agora propõe revogá-las todas. Sem dúvida está jogando para a platéia que o elege, o público evangélico do interior do estado, visto que tal deputado sequer é conhecido na capital do Rio de Janeiro.



Se formos buscar outros casos em outros estados os encontraremos aos montes, mas o que vale neste momento é perceber que há setores do pentecostalismo que estão buscando estabelecer uma verdadeira "Guerra Santa" entre eles e nós, os praticantes das religiões de matrizes africanas. Não é o que vemos acontecer com os setores protestantes tradicionais, ou mesmo com grande parte da Igreja Católica. De semelhante modo, vemos se tornar cada vez mais crescente a intolerância religiosa contra os judeus, muçulmanos e quaisquer outras práticas que não estejam "de acordo" com o modelo "evangélico" que se está estabelecendo em nosso país como forma hegemônica de culto. Não é à toa que o Papa Bento XVI chamou a atenção nesta semana para o crescimento destes setores em noso país e para a tímida reação católica.



Neste sentido, venho tornar pública a proposta que já venho delineando há algum tempo, venho conversando com alguns setores políticos que creio ser fundamental que é a realização da I Conferência Nacional sobre Liberdade Religiosa.



Esta proposta se baseia no modelo vitorioso adotado pelo governo federal em promover conferências municipais, estaduais e por fim uma nacional para discutir determinados temas. Há anos ocorrem conferências assim no campo dos direitos humanos, das mulheres, dos grupamentos étnico-raciais, na educação, cultura e por aí vai.



Creio que é chegada a hora de promovermos ações que gerem uma grande pressão sobre o governo que entra, em especial sobre a Seppir, para que esta conferência acorra em 2012 ou 2013, visando trazer para o diálogo "todos", absolutamente todos os setores religiosos do país. Os discriminados e os que discriminam, os grandes e os pequenos para que se construa um grande pacto de convivência religiosa em nosso país.



Acreditamos que a intolerância religiosa tem como bases: a ignorância e o racismo, portanto, não é de uma hora para a outra que isso mudará. Mas será um bom começo trazer à discussão à baila. Construir formar de convivência e chamarmos para a roda os grandes players do campo religioso brasileiro.



É desafiador, sem dúvida, mas somos ou não somos pessoas de fé? Acreditamos ou não que somos vencedores pelo poder de nossos Orixás? Em sendo assim, vamos à luta.



Creio que seja importante que as mídias religiosas reproduzam este artigo/proposta, que falemos disso nos programas de rádio, que esta proposta ganhe corpo e volume. Pois, sabemos, apenas quem sofre é quem sabe o quanto dói o preconceito por sermos simplesmente o que somos.



Quero sugerir que cada representante religioso, cada casa religiosa, cada instituição elabore seu próprio documento e o torne público aqui, em listas de discussão e envie estes apoio à Seppir nos endereços que seguem:



Ministro Eloi Ferreira: eloi.ferreira@planalto.gov.br;

Subsecretário de Populações Tradicionais: Alexsandro Reis



Marcio Alexandre M. Gualberto

Awofakan ni Orunmila Ogunda Trupon Omó Aganju

Secretário Executivo da Baraketu - Comunicação, Informação, Pesquisa e Documentação da Afro-Religiosidade - www.baraketu.com.br

Diretor do Centro Cultural Afro-Rio - www.afrorio.org

Assessor Político da Coordenação Nacional Coletivo de Entidades Negras (CEN) - www.cenbrasil.org.br



-------------------------

Contatos: 21 9905 5856

MSN: marciodexango@hotmail.com

Um comentário:

Oscar Henrique Cardoso disse...

Márcio, meu amigo, amigo de luta, amigo de caminhada, amigo de guerra. Homem a qual Xangô realmente o honra. É momento de nos unirmos sim e virmos pedir a Seppir para que realmente promova esta conferência. Não podemos ser favoráveis a intolerância religiosa, principalmente a religiosa, somos um mosaico de ideias, um mosaico de pessoas, um mosaico de etnias e culturas. Não podemos nos calar e permitir que tais episódios firam e faltem com o respeito a quem quer que seja. A liberdade de culto e de credo está assegurada na Constituição Federal e temos que fazer com que este direito seja respeitado. Abraços, Oscar Henrique Cardoso.