quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Musical sobre a Escrava Anastácia grátis no Rio


Assista O Auto da Escrava Anastácia
em comemoração ao dia 20 de novembro
 
O evento é uma realização da Companhia Nossa Senhora do Teatro, que a partir do "Auto da Escrava Anastácia", visa comemorar e refletir criticamente o dia da consciência Negra (20 de novembro) no ano onde comemoramos os 120 anos da libertação da escravatura no Brasil, ainda num contexto de cotidiana luta e resistência da população negra, numa sociedade marcada pela discriminação, desigualdade racial, privação e violação de direitos humanos; levando a sensibilização quanto à questão da historicidade das relações raciais no Brasil, da importância do resgate e reconhecimento da cultura negra e suas diversas manifestações, como patrimônio histórico, ambiental, econômico, político e cultural, a partir de amplo debate com diversos atores sociais, apresentações culturais tendo como eixo as narrativas em torno da personagem da Escrava Anastácia. Em comemoração ao Dia da Consciência Negra no Brasil, artistas da Companhia Nossa Senhora do Teatro, através de técnicas diversas, sob texto e direção artística de Ricardo Andrade Vassílievitch e pesquisa e consultoria de Nágila Oliveira dos Santos, apresentam "O Auto da Escrava Anastácia", uma leitura cênica-musical da história da personagem Escrava Anastácia, um misto de mártir, heroína e santidade que permeia o imaginário popular brasileiro como símbolo de resistência da população negra. Um espetáculo teatral que conta com 50 artistas. 
 
A história

Ojuorum pertencia a uma família Real, Anastácia (nome de batismo aqui no Brasil) foi seqüestrada da África e trazida ao Brasil em 1747, tornando-se aqui escrava. Era dotada de rara beleza, tinha os olhos azuis, era muito inteligente e tinha o dom da cura, ela apenas impunha as mãos, e as doenças desapareciam. Foi perseguida e contestada pela igreja católica. A beleza e a inteligência de Anastácia incomodavam a mulheres das Minas Gerais que também a enfrentavam por inveja. Os homens a perseguiam querendo dela tirar proveitos sexuais. Mas Anastácia era protegida pelo senhor Joaquim Antônio, o filho da dona do Engenho, a Srª Joaquina Pompeu, e então, este não lhe permitia qualquer tipo de maldade. Mas Joaquim Antônio estava muito apaixonado por Anastácia, e começou a assediá-la, rogando o seu amor que é negado. A escrava dizia: "Nenhum homem branco será capaz de amar Anastácia!" Então, o senhor movido pelo ódio diz: "Negra maldita! Ninguém mais verá a tua beleza!". E manda que se coloque em Anastácia uma máscara em sua boca (máscara de flandes – utilizada nos escravos nas minas de carvão para que não engolissem as pepitas de ouro) e também o colar de ferro dos negros fujões. Anastácia vive assim durante anos, só sendo permitida a retirada da máscara para sua alimentação. Os anos passam e a escrava adoece gravemente, e mesmo antes de morrer ela é capaz de curar o filho do senhor de engenho que tem uma doença pulmonar grave. A seguir a Escrava Anastácia morre tomada pela gangrena em seu pescoço e boca. Então a partir desta data se espalha por quase todo o país os fatos que ocorreram, permanecendo até os dias de hoje os relatos de promessas e curas alcançadas. Hoje Escrava Anastácia é um misto de mártir, heroína e santidade que permeia o imaginário popular no Brasil. Além de sua representatividade para o povo brasileiro e de afro-descendentes, é também seguida por 28 milhões de devotos.

* O Auto da Escrava Anastácia apresentou-se de 12 a 16 de maio de 2008, na Estação Central do Brasil contando com um público estimado de mais de 10.000.00 pessoas. O Auto da Escrava Anastácia já conta com uma mídia espontânea de larga escala tornando-se assim já bastante conhecido do grande público através dos jornais e canais de televisão.
Coordenação, Texto e Direção Artística de Ricardo Andrade Vassílievitch 
Consultoria e Curadoria de Nágila Oliveira dos Santos

APRESENTAÇÕES GRATUITAS:

SESC Nova Iguaçu – dia 19 nov. às 16:00 h
SESC São João de Meriti – dia 19 nov. às 20:00 h
SES Engenho de Dentro – Dia 20 de nov. às 15 h
Arcos da Lapa – Dia 21 nov. às 22 h

Classificação: Livre para todas as idades.
 
Instituto Nossa Senhora do Teatro Para As Artes
Rio de Janeiro – Brasil
tel. (21) 3773 – 8375 / 9714 – 4940
nossasenhoradoteatro@gmail.com
contato@nossasenhoradoteatro.com
Site: WWW.nossasenhoradoteatro.com

Nenhum comentário: