sábado, 7 de julho de 2007

Carnaval em Salvador

Quem nunca foi à Bahia no período do carnaval não sabe como a cidade é apartada. De um lado, os grandes blocos, os artistas famosos, os turistas endinheirados do Sul e Sudesde e de outros países. Do outro lado uma massa negra, empobrecida, que faz o carnaval em Salvador há 40, 50 anos.

Gente que traz nas mãos a história de uma vida dedicada à cultura popular, mas que tem como espaço de divulgação do seu trabalho as áreas menos nobres, os micro-recursos destinados pela Prefeitura e nenhuma cobertura nos meios de comunicação.

No meio disso tudo estão os pipocas, aquelas pessoas que sem dinheiro para sair nos blocos, ficam em torno deles vendo, entre a fronteira separadadora das cordas, os endinheirados embranquiçados se divertindo, se embebedando, se drogando... É o carnaval da Bahia. É o carnaval do Brasil.

O vídeo abaixo mostra o que qualquer pessoa que vá em Salvador no período de carnaval verá constantemente. O aparato policial está lá para reprimir quem não esteja com abadá, quem seja preto, quem tenha aquela aparencia típica de "povão", que são, na verdade, ou deveriam ser, os verdadeiros donos da festa. O vídeo é chocante, há que se ter estômago:

3 comentários:

Glória disse...

Que horror, que cenas revoltantes! Já tinha ouvido falar que havia racismo na Bahia, mas não fazia idéia que fosse tanto... e esses artistas bundões que ficam fazendo o maior charme em torno do carnaval da Bahia sem denunciar a discriminação e a covardia. Será que eles não vêem essa realidade?
Parei aqui para fazer o comentário, agora vou ler mais seu blog, que encontrei link no ATABAQUE do José Ricardo.

Aldon disse...

Olá, visitem o meu blog e saíba como agir na primeira noite no carnaval de Salvador.
http://euadorocarnaval.blogspot.com/

Aldon

Anônimo disse...

muito boa sua denuncia, mas seu discurso é racista também. A questão é econômica. No sul do pais, na ocktober fest, brancos de olhos azuis, suspeitos, são tratados de forma igual ou pior, eu vi.mais de 80% de salvador é negra e desses,menos de 10 por cento é considerado classe média.Ao solucionar a desigualdade econômica, tenho certeza que o acesso ao melhor do carnaval será possível.o que vc deveria dizer é que no carnaval de salvador o aparttheid é econômico e social.a raça negra ser marginalizada é uma circunstância econômico de governos interessados em beneficiar uma elite econômica, como os moradores da graça...