terça-feira, 14 de março de 2006

E, de repente, chegam os 35

É... Ainda não chegaram. Mas chegarão em 4 de junho deste ano. Farei trinta e cinco anos e, com um pouco de sorte e alguns cuidados, provavelmente estarei no mínimo, chegando à metade de minha vida. Considerando que comecei a beber novo, comecei a fumar novo e comecei a me alimentar mal ainda novo, acho que algumas condições são fundamentais para que, de fato, eu chegue aos 70, 80, se não com a melhor das saúdes, pelo menos vivo e, preferencialmente, lúcido. Então seguem abaixo algumas resoluções que quero tomar nessa nova etapa de minha vida. São resoluções muito mais importantes que aquelas de ano novo. Afinal, o ano novo é todo ano, 35 anos é uma vez só na vida. Vamos a elas:

  1. Parar de fumar - Essa é a essencial, partindo desta chegarei a tantas outras;
  2. Emagrecer - Isso de certa forma já está ocorrendo. Se existe um efeito colateral positivo da separação é este com certeza. Mas ainda estou longe do peso ideal, mas já começo a me sentir melhor com a silhueta;
  3. Ser menos ranzinza e mau-humorado - Essa é mais difícil. Num mundo cada vez mais imbecilizado como o nosso, ter o mínimo de inteligência parece castigo, mas vamos tentar;
  4. Estar mais próximo dos amigos - No início do ano um amigo mais novo que eu foi vitimado por um câncer. Eu não o via há mais de 10 anos e morávamos super perto. Fiquei chocado, triste pela morte e pensando o quanto disperdiçamos a convivência com as pessoas das quais gostamos. Portanto, esta é uma resolução a ser levada muito a sério mesmo;
  5. Me alimentar melhor - Dificil essa pois alimentar-se melhor implica em comer capim e como não tenho vocação bovina é um problema sério. Mas já estou me esforçando. Como sempre gostei de alface, tenho atacado algumas folhas ultimamente. Agora preparo-me para passos mais radicais tipo salada de agrião e outras folhas verdes;
  6. Andar muito de triciclo - Sem dúvida uma das melhores coisas que fiz na vida foi ter comprado esse bichinho. Só quem anda numa geringonça daquela entende o prazer que proporciona. Se eu puder ficar velho pilotando meu trike, já serei um velhinho feliz;
  7. Viajar para conhecer lugares - Sou um sujeito que teve a oportunidade de visitar vários países e estados brasileiros. Mas conhecer que é bom, conheço pouco. Fui duas vezes a Genebra e só fui conhecer a catedral de Calvino no ultimo dia de viagem. Consegui passar um dia em Paris, porque um colega forçou a barra para irmos numa folga que tivemos. De resto, quantas vezes estive em Maceió, Curitiba, Bogotá, Santiago, Lisboa e nada conheci. Não porque não quisesse, mas porque o tempo não permitiu. Portanto, viajar a passeio é um dos meus objetivos futuros;
  8. Ser menos sedentário - Essa é duríssima. Imagine, trabalho com o computador o tempo todo, ando de triciclo, correr eu não vou. Caminhar é uma possibilidade. Academia não tenho saco. Então acho que a melhor coisa é partir mesmo para o sexo;
  9. Namorar mais - Já que falamos em sexo... Devo confessar que sempre fui ruim de namoro. Namorei muito, é verdade. Mas sempre por muito pouco tempo. Meus namoros duravam quando muito alguns meses e quase sempre terminavam porque as meninas estavam certas (eu de fato sou um porre, admito). Já deixei namorada ir a casamento sozinha porque queria assistir a Ira de Khan (ou seja, sou um imbecil completo). Aí me casei, fiquei treze anos casado com a mulher mais legal que já conheci na vida e infelizmente acabou pelo tempo, pelos meus e pelos problemas dela. Mas acho que preciso namorar mais. Não sei se conseguirei, mas tentarei.
  10. Ver a filhona crescer - Tudo isso é para ela. Acho que foi inteligente minha decisão algum tempo atrás de só ter uma filha. Tenho a filha mais linda do mundo (Mila Maria) e é para ela todas essas resoluções pensadas acima. Nada na vida vale à pena se você não tem a oportunidade de ver teu filho crescer e transmitir a ela ou ele, não somente sua carga genética (que quase sempre é um puta azar pra criança), mas seus ensinamentos, o que você aprendeu dos seus velhos. Por sinal, eu só passei a entender meus pais quando tive a Mila. E acho que ela só entenderá a mim e a mãe dela no dia em que ela tiver seus próprios filhos. E assim o maravilhoso ciclo da vida se repetirá até o dia em que eu me for, velhinho, saudável, ex-fumante, bem-alimentado, bem-humorado, cheio de amigos, viajado, de colete de motoclube e, principalmente, cheio de namoradinhas chorando no meu velório.

4 comentários:

Helena Costa disse...

Alvíssaras, Márcio!

parabéns pelo retorno ao blogue, boa sorte nas decisões tomadas. No que eu puder ajudar, além de torcer, pode contar!

Beijo,
Helê

Marcio Alexandre M. Gualberto disse...

Helê, minha Frida, grato pelas gentis palavras e o incentivo de sempre. Bjs.

Rener Lopes disse...

Márcio, realmente, essas 10 coisas que você disse farão com que você tenha uma vida melhor. Além de ser um Kafajeste Nato..... rs
Forte abraço meu mano.
Tinta.

P.S.: Estou ao vivo SEG, QUI e SEX, das 21 as 23 na Teen Webrádio - http://www.teenwebradio.net/

Anônimo disse...

Nice fill someone in on and this enter helped me alot in my college assignement. Thank you on your information.