segunda-feira, 22 de agosto de 2005

Melhor ouvir isso que ser surdo...


Sábado passado em Madureira. As 9h00 da manhã vou à rua comprar para minha filha um tecido chamado TNT para o Dia da Independência. Esse tecido deve ser da côr da bandeira do Brasil. Lá vou eu.

Madureira lotada de gente: uma praga!! Procuro em várias lojas e não acho.

Finalmente, chego numa loja e peço à moça um TNT. Ela pergunta que côr e eu respondo. Ela me diz:

- Tem que ser o verde? Do jeito que estão fazendo merda nesse país o senhor bem que podia levar um tecido da côr marron!!!

(Pano rápido e depressão profunda...)

Uma rápida reflexão: vai demorar talvez 30, 40 anos, mas ainda creio que um dia a esquerda vai chegar ao poder no Brasil. Sem rabo preso. Sem compromisso com os financistas. Apenas afim de fazer algo por quem constrói esse país no dia-a-dia: o povo brasileiro, pobre, preto, destentado e cheio de esperança. Ainda creio que não fomos enganados pelo Lula. Acho, francamente, que tal como ele, fomos enganados por uma camarilha que transformou 52 milhões de votos em pó, dinheiro em cuecas e no maior e mais completo estelionato eleitoral que se tem noticia. O Lula?? Foi a reboque! Apenas isso. O fato dele saber ou não do que armava o senhor Dirceu e seus subalternos pouco importa. Ele (Lula) acreditou nos caras, como nós acreditamos nele. Ele entra pra história como um presidente medíocre. Nós ainda temos tempo de refazer nossa história.

E é só isso! A história não acaba aqui como gostaria de dizer o Fukuyama. Nós ainda temos muito que caminhar. O PT nos encheu de esperanças e nos prometeu mundos e fundos. Descobrir que o PT e seus dirigentes na prática não são diferentes daqueles que criticavam não deve servir como argumento para aceitar que o fim do mundo está próximo.

Nós vemos isso acontecer nas igrejas, nas ongs, nas melhores famílias. Entre o discurso e a prática há uma grande distância e, apenas quando os indivíduos chegam às esferas de poder é que podemos efetivamente vislumbrá-los como verdadeiramente são.

Há que se mudar o modelo político brasileiro. Há que se mudar a cultura brasileira com relação à política. Há que se construir uma nova mentalidade na população. Enquanto formos um povo que se orgulha do "jeitinho brasileiro" é porque realmente há algo de muito errado com nós mesmos.


Nenhum comentário: